terça-feira, 22 de março de 2011

Grande Insecto!

O Natal é aquela altura... e com um carregamento de prendas, nem sempre apreciávamos o dinheiro (outros tempos!). Nada como desembrulhar as coisas que já estávamos fartos de saber o que era... desde que os embrulhos chegavam e a curiosidade nos fazia bater os cantos à casa e em minuciosas operações conseguíamos descortinar o conteúdo das caixas muito antes das primeiras 12 badaladas do dia 25 de Dezembro. Depois de calcular o total do que vinha em dinheiro, o Natal de 1990 permitiu-me adquirir outra arma Cobra... o BUGG!   


 Com um custo de 9.900$ (cerca de 50€ na actual moeda) era um dos mais caros veículos G.I.Joe no mercado. Em 1990 esta quantia era "metade de um absurdo", embora anos antes outros houvessem que batiam o recorde do aceitável. Recordo-me perfeitamente na cara do meu pai quando lhe disse quanto tinha gasto com este "menino". A verdade é que já estavam habituados e já nada os espantava: "O dinheiro é teu...".

 
Mais de 20 anos depois agradeço à minha loucura, porque além de estar ainda impecável, é mais um item de referência. Poderoso e fortemente armado, é um veículo imponente e um exemplo perfeito da tecnologia Cobra.


Parte da série de 1988 (EUA) este veículo podia transportar 9 figuras (podendo ainda ser responsável pelo transporte de mais 2 se os "hover skis" estivessem em uso). O cockpit do condutor albergava dois elementos e era acessível por uma porta que abria para cima. Na própria porta estavam alojados 2 mísseis terra-ar "língua de forquilha". 


Na traseira, uma escotilha blindada também abria para acesso de pessoal (um operador de torre de canhão duplo e mais 2 elementos).

 
O BUGG era um veículo submersível de assalto.  4 mísseis terra-ar, 6 canhões de calibre .50 automatizados, torre rotativa de metralhadora dupla, 2 "hover-skis" que estavam arrumados sob painéis laterais, 2 torpedos, era um "bicho" difícil de superar.


Um dos pormenores que o distinguia era a cápsula que se separava do "corpo" principal do veículo. Com cockpit pressurizado, podia transportar dois indivíduos e a cobertura abria como a viseira de um capacete. Esta "bolha" permitia aos Cobra fazer o reconhecimento de locais inacessíveis ao BUGG fosse pelo seu tamanho ou limitada mobilidade onde a gravidade fosse problema.


Com o BUGG, vinha o seu condutor, um Secto-Viper. Desenvolvida para patrulhar a linha costeira da Ilha Cobra, a unidade dos Secto-Vipers é zelosa no seu dever. Além de saberem de cor toda e qualquer vulnerabilidade de possíveis oponentes mecanizados, a cada Secto-Viper é designada a patrulha de uma área específica da Ilha. Como consequência, passarão literalmente por cima dos próprios colegas que lá encontrarem para subir na consideração dos seus superiores.   

 

Sem comentários:

Publicar um comentário