sábado, 28 de maio de 2011

Segundo Silvo

Em 1989 (EUA) surgia um dos mais apetecidos "remakes". A 2ª versão de um veículo Cobra, o "Sentinela de Alta Velocidade", H.I.S.S. II.


Com lugar para piloto e co-piloto, artilheiro de torre, 4 tropas na sua "bagageira" e mais dois no exterior, foi uma clara evolução do seu antecessor, o original e clássico (nunca lançado em Portugal)... Cobra H.I.S.S.


Mais "musculado", volumoso e bem armado, era certo que se tornaria num adversário de respeito para os G.I.Joe.

  
Armamento: Canhão triplo de termo-propulsão assente numa torre platinada a titânio, 2 metralhadoras de 100mm, 2 mísseis de superfície totalmente silenciosos e uma vasta capacidade defensiva em termos de casco. Tudo num tanque de alta velocidade.


O acesso ao cockpit era também diferente em termos de design. Enquanto o original era acedido através de "pop-up" do vidro, o H.I.S.S. II contava com um cockpit que descia 45º para que os pilotos entrassem. E aqui, surgia outra novidade na linha... os clips de cintura.


Em 1989, o H.I.S.S. II tornava-se o primeiro veículo a utilizar este sistema (a série seguinte traria meia dúzia de veículos equipados com semelhante atributo) que facilitava sobremaneira a estabilidade das figuras quando a brincadeira se tornava mais atribulada.


Se este veículo, com o seu sistema de acesso ao cockpit foi a razão desta criação, é incerto. Até aí, eram usados cintos de segurança que embora dessem um ar mais realista ao veículo e piloto, como brinquedo tornava-se mais difícil de preparar. No entanto, ambos os sistemas continuariam a ser usados em paralelo nos anos seguintes.


O H.I.S.S. II chegaria a Portugal em 1991.

 
Sendo um veículo fantástico a muitos níveis, senão quase todos (excepção feita às lagartas não-funcionais), o seu grande trunfo estava na sua traseira. Sendo um veículo de ataque era também uma unidade de transporte de tropas. 


Usando um sistema de "tabuleiro", 4 lugares tornavam-se assim acessíveis às forças de defesa ou invasão (mediante o plano de combate). Na foto, 4 Frag-Vipers. A ausência de capacidade de transporte era uma das falhas do H.I.S.S. original que datava de 1983 e que a Hasbro colmatou 6 anos depois. Este era um ano de melhorias, ou pelo menos, novas perspectivas, como o caso do F.A.N.G. II.


Incluído, vinha o piloto deste veículo, Track Viper.  Pesados e de grande estatura, eram gozados pela infantaria Viper. A piada girava em torno da ideia que tais indivíduos só se candidatavam ao lugar de "Track Viper" por serem demasiado lentos ou desastrados para terem lugar na infantaria. A verdade é que a sua "construção" lhes dava vantagens noutros campos, enquanto operadores de maquinaria pesada. Além de tomarem conta de tudo o que se passava dentro do H.I.S.S. II, caso houvesse uma emergência fora dele, a sua força física seria útil na manutenção debaixo de fogo.

 

Sem comentários:

Publicar um comentário