domingo, 28 de outubro de 2012

Veículo da semana: Cobra Copter (CRIMSON COMMAND COPTER)

Em 2003, num dos raros casos de lançamento paralelo entre EUA e Europa Ocidental (especialmente Espanha, Portugal, Reino Unido) embora com embalagens diferentes, recebíamos o Cobra Copter, uma espectacular versão do Night Attack Chopper de G.I.Joe.


Carregado de acção e mecanismos, este helicóptero vinha recuperar um pouco do espírito de outra era em que tanto G.I.Joe como Cobra por vezes reutilizavam equipamento do inimigo fazendo algumas alterações de cor... e não só.


Caixa de 2003 com grafismo que difere da versão original (americana). Nos EUA, este helicóptero tinha a designação "CRIMSON COMMAND COPTER", que o relacionava com a tripulação: Tomax e Xamot, comandantes da unidade "Crimson Guard".


Vivíamos (e ainda vivemos) uma era em que a "acção" nos brinquedos era imperativa. Assim, pressionando o gatilho na cauda, ouvia-se o motor do helicóptero e as pás giravam. Quanto mais se pressionasse, mais rápido era o movimento e constante o "ruído".


Pesando 1,3Kgs e com um comprimento a superar os 50cms, era quase um "playset" que contava ainda com uma alavanca/punho com gatilho que se puxava da sua barriga e permitia disparar os mísseis.


Ao primeiro toque no gatilho, as asas abriam e deixavam prontos a disparar os 10 mísseis que tinham de ser pré-carregados. Na imagem pode observar-se a extensão da beleza desta aeronave (agora Cobra). Canhões e mísseis de sobra para atacar qualquer comboio Joe ou defender qualquer posição Cobra. No nariz, um canhão que acendia quando o botão de "Sound Attack" era pressionado. 


Vinha também equipado com um gancho de resgate que uma vez extendido, tinha de ser recolhido manualmente girando o exaustor de um dos motores. Na imagem, a forma cilíndrica é de um dos carregadores dos lança-mísseis que como referi na legenda da imagem anterior pré-carregavam os mísseis. Funcionavam por mola, ou seja, dando uma série de voltas ao carregador, restava pressionar o gatilho do punho para disparar os projécteis.


Podendo transportar mais de 7 figuras, tinha em ambos os lados portas que deslizavam para trás, tendo mais espaço para pessoal e carga. Na imagem, uma das asas de armamento extendida. Eram encaixadas de novo pressionando para dentro (na direcção da aeronave) até se ouvir o "click". Para as preparar de novo para lançar os mísseis, era só carregar uma vez no gatilho do punho.


Com uma soberba escolha de cores, este Cobra Copter parecia uma serpente. E os dourados apenas lhe conferiam mais classe...


Incluídos com o Cobra Copter, vinham os seus pilotos: Tomax e Xamot. Comandantes da "Crimson Guard", peritos em Infiltração, Espionagem, Sabotagem, Propaganda e Lei Empresarial.


Com o obrigatório detalhes que os diferencia (a cicatriz de Xamot), a Hasbro falhou no outro detalhe, eles são um reflexo, não iguais. E isso à partida queria dizer uniformes de design oposto. Aquilo que um teria no lado esquerdo, o outro teria no lado direito. Esta é a história, mas talvez fosse um pouco da diferença que tempos mais modernos não contemplassem. Um mal menor.


O cockpit é excelente. Com lugar para 3 (piloto à frente e dois tripulantes/passageiros atrás), trazia um joystick com algum detalhe e o banco da frente era reclinável de modo a melhor encaixar as figuras que viajavam atrás do piloto.


Outro dos fantásticos veículos da nova era (pós-1994, e especialmente pós-2001), com cabine de pilotagem que abre, portas que deslizam, gatilho que activa sons e faz as pás girar, joystick que controla as armas, e mesmo antes disso extende as asas de armamento, arma frontal que acende e incluído não uma, mas duas figuras... é um veículo de valor!

  

 

Sem comentários:

Publicar um comentário